27 de fev de 2008

Assovia o vento dentro de mim.
Estou despida. Dona de nada, dona de ninguém,
nem mesmo dona de minhas certezas,
sou minha cara contra o vento, a contravento,
e sou o vento que bate em minha cara.

Nenhum comentário: