30 de ago de 2010

Eu escrevo

Eu escrevia silêncios, noites, anotava o inexprimível. Fixava vertigens...

("Délires", de Rimbaud)

Nenhum comentário: