31 de jan de 2012

Terror de Amar


Terror de te amar num sítio tão frágil como o mundo 
 Mal de te amar neste lugar de imperfeição 
 Onde tudo nos quebra e emudece 
 Onde tudo nos mente e nos separa. 
 Que nenhuma estrela queime o teu perfil 

 Que nenhum deus se lembre do teu nome 
 Que nem o vento passe onde tu passas. 
 Para ti eu criarei um dia puro 
 Livre como o vento e repetido 
 Como o florir das ondas ordenadas. 

 Sophia de Mello Breyner Andresen

Nenhum comentário: