12 de jun de 2008


Maior amor nem mais estranho existe
Que o meu, que não sossega a coisa amada
(...)
Fiel à sua lei de cada instante
Desassombrado, doido, delirante
Numa paixão de tudo e de si mesmo.
Vinícius de Morais

Nenhum comentário: